Principais Noticias

Porque na vida também é possível mudar a direção!

"Não preciso de psicólogo. Não sou louco".
 
Provavelmente, você também já deve ter escutado ou lido frases com teor parecido inúmeras vezes. 
Apesar do sentimento incial de tristeza e indignação, a "mensagem" que fica para mim é que um número considerável de pessoas, ainda hoje,  resiste a buscar ou aceitar ajuda psicológica. Talvez  a falta de informações mais claras e objetivas sobre o tratamento psicológico e, principalmente, de que maneira a psicoterapia pode efetivamente ser uma importante ferramenta de auxílio em diversas situações de nossas vidas, sejam elas mais ou menos críticas podem ser aspectos que contribuem para esta resistência. 

De certa forma, sou grata a colocações como estas, pois,  a partir delas, passei a pensar mais cuidadosamente sobre as inúmeras questões, dúvidas e temores trazidos tanto por pessoas que já entraram em contato comigo, quanto por pacientes que já acompanhei, acerca do trabalho psicológico. Paralelamente, tais aspectos acabaram me motivando a criar este site como meio de expor assuntos relacionados à minha prática clínica, na tentativa de aproximar um pouco mais o trabalho psicológico do cotidiano das pessoas e, assim, tornar o conhecimento mais acessível para todos aqueles que tenham dúvidas ou que necessitem de orientações.

Falando de terapia caminha nesta direção. Tem como proposta convidar você a ler, refletir, obter informações e compreender melhor diversas fases ou situações da vida cotidiana que nos levam a conviver com importantes desafios, mudanças, rupturas, perdas e como a psicoterapia, nas suas diferentes modalidades, pode ajudá-la (o) a atravessá-las e a conquistar uma vida emocional mais equilibrada e saudável.

Afinal, o trabalho psicoterapêutico, do meu ponto de vista, é uma chance, não só de pensar sobre problemas, impasses e conflitos, mas, sobretudo, uma possibilidade de encontrar novas formas de enfrentar ou transformar situações que, aparentemente, não tem saída e que geram significativo sofrimento.

Seja bem vinda (o)!